“Entrei numa universidade federal pelo Sisu”

Desde que foi criado, o Sisu (Sistema de Seleção Unificada) vem ganhando a cada dia mais importância na vida de quem deseja ingressar numa instituição de ensino superior pública. No sul de Minas, não é diferente: universidades públicas utilizam o Sisu como principal forma de seleção (veja mais detalhes aqui).

“Entrei na Ufla”

Aparecida Adrielle Jacinto Ribeiro está entre os(as) estudantes que aproveitaram a nota do Enem para conseguir uma vaga na Ufla (Universidade Federal de Lavras). Natural de Silvianópolis, foi admitida por meio do Sisu e hoje é aluna do segundo período de engenharia ambiental.

Abaixo, ela conta como fez para conquistar a tão almejada vaga:

“Desde o segundo ano do ensino médio, sonhava em estudar numa faculdade federal. A preferência sempre foi pela Ufla, pois é reconhecida como a faculdade mais sustentável da América Latina.

Para conseguir meu objetivo, fiz curso pré-vestibular durante três anos. Participei de cinco edições do Enem. Foi uma fase difícil, pois o sentimento do tempo passando e o medo de não conseguir ser aprovada me desanimavam muito, principalmente no último ano de cursinho.

No dia da inscrição no Sisu, em 2017, a esperança renasceu. Era minha última oportunidade. Se não conseguisse, iria para uma universidade particular.

Para minha alegria e a de todos que acompanhavam minha história, a aprovação aconteceu. Entrei na Universidade Federal de Lavras pelo Sisu, no curso que eu almejava! Eu não tinha segunda opção: só me interessava fazer engenharia ambiental!

Os três anos de cursinho não foram perdidos. Foi um tempo de amadurecimento para ingressar em uma faculdade longe de casa e, principalmente, para dar mais valor à minha conquista.

Se você tem um sonho, vá em busca dele. Um dia, realiza. Força, foco e disciplina!”

“Entrei na Unifei”

Na Unifei (Universidade Federal de Itajubá), a principal forma de ingresso é o Sisu. Ali, o pouso-alegrense Victor dos Santos Prado Lingard é aluno do quarto período de engenharia civil.

Abaixo, ele relata como ingressou nessa universidade e revela um pouco de sua vivência acadêmica.

“Para entrar na faculdade, que é bem concorrida, preparei-me bastante para fazer o Enem e conseguir uma boa nota. Dediquei-me bastante aos estudos durante todo o ensino médio.

Ao me inscrever na Unifei pelo Sisu, escolhi como primeira opção engenharia hídrica. Como segunda opção, escolhi engenharia civil, o curso que de fato eu queria fazer. Foi uma estratégia para garantir uma vaga na universidade, pois a concorrência em engenharia civil era maior.

Fui aprovado para o curso de engenharia hídrica, me matriculei, mas não cheguei a fazer nenhuma aula nesse curso. Antes do início das aulas, fui chamado para engenharia civil e mudei de curso na hora.

Minha vivência acadêmica no princípio era bem estreita: eu queria simplesmente fazer as matérias, me formar e pronto. No decorrer da faculdade, fui ampliando minha forma de enxergar e, hoje, posso dizer que tenho uma visão muito mais aguçada.

É preciso ter maturidade para não deixar os estudos de lado, ter foco. É preciso extrapolar a sala de aula, participar de projetos de extensão e de outras atividades acadêmicas, que irão nos trazer novos conhecimentos e enriquecer o currículo.”

Nenhum comentário